Resenha | Guardiões da Galáxia vol. 2 (Guardians of the Galaxy vol. 2)

Olá!

Faltando pouco tempo para o filme sair dos cinemas, deu tudo certo e eu consegui assistir ao segundo filme dos Guardiões da Galáxia como eu comentei com vocês na resenha que fiz sobre o primeiro filme!

Como o primeiro filme foi muito legal as expectativas estavam altas e o medo de ser um filme péssimo também! E agora que já assisti ao filme posso dizer que a maioria dos espectadores não estão no meio termo, ou amam ou odeiam…

Mas como de costume, uma breve síntese sobre o que se trata a história antes da minha opinião!

Nesse segundo filme os Guardiões da Galáxia já tem sua fama consolidada por todo o universo e trabalham em conjunto para se manterem unidos, fugindo de novos inimigos e ainda desvendar a verdadeira origem do pai de Peter Quill (Chris Pratt) contando com a ajuda de novos personagens.

O filme é bastante colorido, explora novas possibilidades dentro da galáxia que existe nas histórias do HQ e fica contido em sua própria história apresentando melhor o grupo, sem fazer grandes referências aos Vingadores ou ao filme Guerra Infinita que sairá em breve.

O filme traz os momentos de ação com muita clareza e cores vibrantes que transportam o telespectador para esse ambiente intergalático com toques de anos 70 que acabaram de sair de um gibi… Fica ainda mais legal se você comparar as cores dos outros filmes da Marvel que são mais frias e bem menos vibrantes.

Apesar de ser uma história bizarra, com personagens bizarros e tudo muito louco você consegue se identificar com eles e com a família que eles formam! Além é claro das diferentes personalidades que compõe o grupo e que deixam tudo mais interessante já que sem qualquer sombra de dúvida, o ponto alto do filme são os personagens.

Temos Peter Quill (Chris Pratt) também conhecido como Senhor das Estrelas que traz o lado humano e a cultura pop, Gamora (Zoë Saldaña) e sua irmã Nebula (Karen Gillan) ganham espaço com seus conflitos familiares, Drax (Dave Batista) é o “sem filtro” da turma e grande responsável pelas cenas cômicas do filme, Baby Groot (Voz de Vin Diesel) rouba a cena toda vez que aparece com sua fofura, Rocket Raccoon (Voz de Bradley Cooper) com seu jeito ranzinza de ser tem seu momento dramático na trama e por fim, mas não menos importante Yondu (Michael Rooker) que adquire grande destaque na história.

Imagem relacionada

Disponível em: http://pic.pimg.tw/dinosaurs/1493223465-1535013419_n.jpg Acesso em: 05/06/17

Há também personagens novos que agregam ainda mais surpresas a essa turma toda como Ego (Kurt Russell) que é pai do Petter e super poderoso, enquanto a Mantis (Pom Klementieff) é uma criatura intrigante e não faz ideia de como ser sociável. Ayesha (Elizabeth Debicki) domina como líder um povo galático dourado e Stakar Ogord (Silvester Stallone) chega como se tivesse feito parte da história desde sempre.

Não tem como não separar um espaço aqui só para mencionar as músicas que são ótimas e ainda ajudam a compor a história, de forma que a sensação que se tem é que o roteiro foi escrito em conjunto com as letras das canções, pois elas complementam o que acontece em cena com músicas como Brandy You’re a Fine Girl do Looking GlassMy Sweet Lord do Beatle George HarrisonFather and Son de Cat Stevens, Come a Little Bit Closer de Jay & the Americans, The Chain de Fleetwood Mac e várias outras!

A parte chata é o humor trash que não agrada todo mundo e em muitos momentos soa desnecessário, mas no fim elas fazem parte de uma sequência que faz sentido, assim como todos os outros detalhes do filme que se constroem e tem sua importância para a carga sentimental que se desenvolve no decorrer da trama e até as cenas pós créditos…

Apesar da história ter se arrastado um pouco até a metade do filme, a motivação do vilão e ele em si serem fracos e boa parte das cenas cômicas do filme não funcionarem muito bem, existem algumas cenas realmente engraçadas, os personagens são sensacionais, há várias referências a cultura pop, a história foge completamente dos clichês de heróis, a trama traz um envolvimento com os personagens que você não espera, um drama cativante, as músicas do filme são maravilhosas, então no final das contas o filme é bom e vale a pena!

Anúncios

Um comentário sobre “Resenha | Guardiões da Galáxia vol. 2 (Guardians of the Galaxy vol. 2)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s