A arte de estudar – Parte 9

Olá pessoas!

Faz bastante tempo que eu não escrevo nessa categoria aqui do blog, mas já tem bastante coisa interessante sobre como estudar de uma maneira mais proveitosa, então caso você queira conferir os posts sobre o assunto, clicando aqui você encontra todos eles!

Em alguns post eu já mencionei algumas técnicas interessantes de estudar, mas hoje o assunto é só sobre as diferentes técnicas de estudo, ou maneiras de estudar, que podem te ajudar! As vezes você não sabe muito bem qual a maneira mais eficiente de estudar determinado assunto e cada um de nós pode se identificar com uma delas, então eu vou mostrá-las para vocês!

Técnicas de estudo

Pesquisas feitas por cientistas e pesquisadores demonstram que algumas técnicas são mais eficientes que outras porque a maioria das pessoas que usam determinado método conseguem assimilar melhor do que as outras que usam outro método, ou por não terem comprovações técnicas de como determinada técnica faz com que possamos lembrar das coisas no futuro.

Mas eu não vou entrar nesse mérito do que é mais eficiente ou não, porque cada cérebro, cada pessoa funciona de uma maneira e cada um sabe qual é o melhor para si. O que eu vou fazer é apresentar as técnicas que eu costumo utilizar e que me ajudam bastante.

Explicar o conteúdo para outra pessoa

Uma técnica que eu uso bastante 🙂 Inclusive aqui no blog quando ensino coisas sobre inglês!! Quando você aprende algo novo e conta pra alguém você é obrigado a buscar essas informações no seu cérebro pra contar tudo direitinho e assim é como se você revisasse o assunto enquanto fala. Ou se você vai fazer uma apresentação, ou no meu caso escrever no blog, você faz pesquisas, busca mais detalhes, e se o assunto te chamar atenção, é ainda mais fácil de gravar na memória.

Esquemas e associação de imagens com textos

É quando você monta esquemas mentais, uma linha de raciocínio com desenhos, mapas ou o uso de muitas cores enquanto escreve por exemplo, assim você consegue organizar melhor as ideias e cria sua própria lógica de raciocínio, ou algo que te marque o suficiente para lembrar sobre o que foi estudado de forma mais clara. Porém nem todos conseguem se adaptar muito bem a esse estilo de prática, porque não conseguem assimilar muita coisa, ou se atrapalha um pouco.

Estudo intercalado com diferentes conteúdos

Juntando tudoTempos atrás eu fiz um post que falava sobre essa técnica no Arte de estudar – parte 5, pois aí eu falava sobre não decorar os assuntos e acredito que estudar diferentes matérias no mesmo dia ajude a memorizar mais, já que forçamos o cérebro a buscar as informações quando formos estudar e dependendo dos temas, podemos fazer associações das diferentes matérias, que tenham um mesmo assunto, porém abordados por diferentes perspectivas.

Resumo

Já usei muito essa técnica, onde você escolhe as partes mais importantes do texto e reescreve de uma maneira diferente, ou não. Basicamente você faz um entendimento do que foi lido. Esse método pode ser ruim se a pessoa apenas copia partes do texto sem muito critério ou sem prestar atenção… Mas aí vai muito de quem está estudando e da disposição também! Mas de um modo geral é uma boa técnica.

Testes práticos

É quando você responde um questionário sobre o assunto como simulados, provas de vestibulares e outros, podendo ser de múltipla escolha, associação ou até dissertativas.

Acho uma boa técnica porque você consegue ver o conteúdo estudado com outra perspectiva, sendo obrigado a pensar realmente sobre o assunto. E principalmente quando acontece o erro, você consegue fixar ainda mais já que você vai buscar saber o porquê errou e dessa forma a informação fica mais gravada na mente.

Prática distribuída de estudo

É uma das mais difíceis! Porque envolve planejamento e o cumprimento desse planejamento, ou seja, você estabelece sua rotina sobre o que estudar, quando e por quanto tempo. Se você consegue seguir o planejado, estudar torna-se um hábito e assim mais organizado também, não havendo aquela dúvida sobre o que fazer primeiro, o que resulta em não fazer nada geralmente.

Marcar texto

GrifarEssa é uma boa maneira de estudar para aqueles que tem memória fotográfica, ou gostam de reler o texto várias vezes num futuro próximo, assim fica mais fácil identificar onde estão os pontos importantes. Mas o essencial na hora de grifar um texto é saber o que separar, porque grifar um ou dois parágrafos inteiros não ajuda muito, o certo é grifar palavras-chave, ou frases que demonstram o que está sendo explicado.

Associações mnemônicas

Essa técnica funciona melhor na hora de aprender algum outro idioma, ou gravar fórmulas matemáticas e até quando tentamos gravar quais são todas as preposições essenciais em português. Basicamente é quando criamos algo que fica marcado na nossa mente, como aquela música chiclete que você odeia, mas sabe a letra de tanto que você já ouviu. Infelizmente nem tudo da pra estudar dessa forma e nem é garantido que você vai APRENDER de fato, mas pelo menos vai lembrar por um bom tempo.


Cada um de nós tem suas facilidades, alguns tem uma memória auditiva, só de ouvir gravam boa partir do que estão estudando, outros tem memória visual e portanto fica mais fácil escrever ou desenhar, basta você identificar o que fica mais fácil para você.

Mas independente da técnica, depois da primeira vez que viu o conteúdo é sempre bom revisar em no máximo 48h.

E então, qual dessas técnicas você usa? Conhece alguma outra? Deixe aqui nos comentários

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s